Aguarde...

SAÚDE QUE SE VÊ

NOTÍCIAS

Vacinas gratuitas aprovadas sem a opinião da DGS

Vacinas gratuitas aprovadas sem a opinião da DGS

Foram aprovadas pelo parlamento, sem consultar a Direcção-Geral de Saúde (DGS), três novas vacinas gratuitas na votação na especialidade do Orçamento do Estado para 2019, no passado dia 27 de Novembro. Ana Jorge, ex-ministra da saúde esteve ao telefone no programa Saúde em Dia do S+ para discutir este assunto.

Henrique Botelho realça qualidade do SNS

Henrique Botelho realça qualidade do SNS

O Coordenador Nacional para a reforma do Serviço Nacional de Saúde na área dos Cuidados de Saúde Primários, frisou a qualidade do Serviço Nacional de Saúde no programa Saúde em Dia do S+. “Temos que estar conscientes de que Portugal ganhou 10 anos de vida nos últimos 40 anos”, afirmou.

Miguel Guimarães lança desafio à Ministra da Saúde

Miguel Guimarães lança desafio à Ministra da Saúde

O bastonário da Ordem dos Médicos esteve em entrevista no programa “Corpo Clínico” do S+ e fez questão de afirmar que "não tenho dúvidas que os ministros da saúde não conhecem o dia a dia dos médicos nos hospitais e nos centros de saúde" e que Marta Temido devia passar um dia com um médico interno para perceber todas as dificuldades.

Value Based Health Care - Para quando?

Value Based Health Care - Para quando?

O Value Based Health Care (VBHC) surge em 2014, na Universidade de Harvard nos EUA, com base na pesquisa do professor Michael Porter. É um conceito criado para reestruturar os sistemas de saúde em todo o mundo com o objetivo primordial de acrescentar valor para o paciente.

Enfermeiros Portugueses insatisfeitos com a profissão

Enfermeiros Portugueses insatisfeitos com a profissão

De acordo com um estudo recente, realizado pelo enfermeiro Eduardo Bernardino, 61% dos enfermeiros inquiridos estão descontentes com a sua profissão. A maioria exerce funções em hospitais (66.8%).

Dia Mundial da Pneumonia

Dia Mundial da Pneumonia

Celebra-se hoje, 12 de novembro, o Dia Mundial da Pneumonia. Estabelecida em 2009, data alerta para doença que mata três milhões de pessoas por ano, entre as quais 476 mil crianças, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Optometristas indignados com acusações dos Ortoptistas

Optometristas indignados com acusações dos Ortoptistas

Raul Sousa, presidente da Associação de Profissionais Licenciados de Optometria (APLO) comentou hoje no Porto as declarações proferidas ontem ao S+ por Aldina Reis. Segundo a presidente da Associação Portuguesa de Ortoptistas (APOR), existem em Portugal dois mil optometristas a trabalharem em lojas de ótica onde fazem exames e diagnósticos com retinografos sem terem a devida formação e a funcionarem "num vazio legal" sem serem escrutinados no exercicio da sua actividade profissional. Em entrevista ao programa "Saúde em Dia", Aldina Reis criticou ainda o fato dos optometristas não serem "profissionais de saúde" e que essa tarefa devida ser confiada apenas aos oftalmologistas e aos ortoptistas, que estudam 4 anos em escolas de saúde.  

Médicos falam em “vergonha” e “catástrofe”. Falhas informáticas adiam consultas e exames

Médicos falam em “vergonha” e “catástrofe”. Falhas informáticas adiam consultas e exames

Uma série de falhas nos sistemas informáticos do Ministério da Saúde está a forçar o adiamento de centenas de consultas e exames de diagnóstico por todo o país.

Unidade de Valongo ganha serviço de ambulatório

Unidade de Valongo ganha serviço de ambulatório

O Centro Hospitalar Universitário de São João criou um novo polo do Hospital de Dia de ambulatório na Unidade Hospitalar de Valongo, com o objetivo de responder ao aumento de procura que se tem verificado nesta área.

"Optometristas são perigo para a saúde pública"

"Optometristas são perigo para a saúde pública"

A afirmação foi proferida hoje por Aldina Reis, presidente da Associação Portuguesa de Ortoptistas, durante uma entrevista ao programa "Saúde em Dia" Segundo esta especialista, os optometristas têm um curso superior de 3 anos, ao contrário dos 4 anos necessários nos cursos de saúde, e por isso pertencem à área das ciências naturais e exactas.  Aldina Reis confessa receber todos os dias "dezenas de queixas de pessoas que fizeram exames de diagnóstico em óticas com optometristas". Para a Presidente da Associação Portuguesa de Ortoptistas estes profissionais que trabalham em óticas têm uma "grande proximidade" com os doentes, mas não são verdadeiros profissionais de saúde. Eles "funcionam num vazio jurídico e enquanto não existir regulação são um perigo para a saúde pública em Portugal".

As máquinas são os médicos do futuro

As máquinas são os médicos do futuro

Alexandre Valentim Lourenço defendeu hoje no canal S+ que o médico "faz tudo" que ia de aldeia em aldeia ver doentes corresponde a uma visão romântica do passado. Para o presidente do Conselho Regional do Sul da Ordem dos Médicos, num futuro muito próximo determinados procedimentos clínicos, sobretudo na área do diagnóstico, vão ser assumidos por equipamentos tecnológicos avançados como, de resto, já sucede em especialidades como a Dermatologia ou Anatomia Patológica. Durante uma entrevista ao programa "Auditório S+", após o Congresso da Ordem dos Médicos que se realizou em Lisboa a semana passada, o médico defendeu ainda que algumas especialidades "vão desaparecer, outras vão mudar, outras que se vão fundir e outras que se vão criar". 

Doentes de Parkinson exigem Estatuto de Cuidador Informal

Doentes de Parkinson exigem Estatuto de Cuidador Informal

Ana Botas defendeu hoje no programa "Saúde em Dia" do canal S+ que é urgente aprovar o Estatuto de Cuidador Informal. A Presidente da Associação de Doentes de Parkinson associa-se aos apelos já feitos por várias associações de doentes. Estima-se que em Portugal existam 20 mil doentes com Parkinson, uma doença degenerativa do cérebro e que com o aumento da longevidade esse número possa chegar aos 30 mil. Segundo a Entidade Reguladora da Saúde, o nosso país é dos que tem mais cuidadores informais sem formação e a maior taxa de cuidados domiciliários informais da Europa. As associações de amigos e doentes esperam com o novo Estatuto do Cuidador Informal conseguir dar mais apoio aos seus dependentes obtendo flexibilização laboral e benefícios fiscais.